segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Vamos plantar que a Terra vai amar!


Desde criança fui cativada pela presença silenciosa e sólida destes seres que até hoje considero mágicos e sagrados. Na escola aonde estudei os primeiro anos de minha educação na Colombia haviam muitos eucaliptos, desses bem grandes e cheirosos, cuja casca vai descascando do tronco e que adoravamos puxar deixando a vista o tronco bem lisinho e inebriando-nos com esse aroma único e sanador. Também nas praças do bairro aonde morava haviam outras árvores cujo nome nem sei, que chamavam minha atençao e sentia que delas emanava um convite a que as tocasse e escalasse. Acariciar seus troncos asperos em algumas e muito macios em outras me intrigava, assim como observar que cada árvore apresentava uma silueta particular, um tipo de folhagem, um fruto diverso, uma baia ou vagem, flores em alguns casos. Fui crescendo e este encantamento nunca passou... Ao contrario! Mais eu crescia e maior era minha vontade de ascender até onde fosse possivel, e nesse encontro intimo do meu corpo ao tronco e aos galhos destas amigas, surgiu espontaneamente a paixão por abraça-las e mais incrível ainda: sentir como elas me abraçavam de volta criando uma ligação fantástica e energizante que me faz sempre feliz.
As notícias terríveis sobre a devastação na Amazonia e as árvores que ví sendo cortadas ao longo de minha vida foram sempre oprimentes e me tocavam fundo por me sentir tão impotente diante deste quadro absurdo. Nalguns casos conseguí com ajuda de amigos e/ou algum dinheiro, poupar algum sauce chorão, um nogal e alguma outra de serem derrubados, após uma conversa bem humana com os donos das terras aonde estas árvores haviam feito suas raízes por tantos anos. Mais da metade de minha vida se passou e mesmo amando tanto estes seres inteligentissimos, fortes e generosos como nenhum outro de qualquer um dos reinos, nunca tinha plantado uma árvore sequer(!) Até este ano quando minha mãe faleceu súbitamente. Decidí que sobre suas cinzas plantaríamos uma árvore, que na hora de escolher qual, viraram tres... Gratifcante sensação! E que motivante foi quando quase simultaneamente a esse primeiro plantio se formou aqui em Arraial d´Ájuda um grupo de amigos e conhecidos determinados a plantar um milhão de árvores para compensar (ou mitigar) a desgarradora realidade que tem reduzida a mata Atlantica a um 4% do que um día foi esta majestosa floresta tropical. O manto de nossa terra. Minha vida deu uma turbinada. Seja pelo falecimento de minha amada mãe que me fez repensar a minha propria vida e em como uso a energia preciosa que me é concedida a cada novo dia, seja pelo prazer inusitado que me proporcionou pôr as primeiras mudas de árvores na terra ao meu redor na esperança de um dia vê-las florir e poder sentir em cada flor a presença daquela mãe maravilhosa, cujas cinzas alimentaram a terra onde estas árvores cresceram... Seja pela urgente necessidade de tomar atitudes e fazer o que deve ser feito em relação ao meio ambiente e sua dramática situação (e deixar só de lamentar ou reclamar), em fim: passar a ação.
Não temos tempo a perder!!! E sei que desde a raíz de cada árvore e desde a copa frondosa de cada um destes seres maravilhosos nos vêm a força e o conhecimento silencioso e necessário para avançar e crescer nesta missão fundamental: plantar, cuidar, honrar e preservar estes seres sagrados! Nossa fonte de oxigenio! Fonte de sombra, frutos e flores! Sementes, madeiras, resinas e insetos, habitat de aves e macacos, seres divinos sem os quais a vida é quente, triste e vazia. Quase impossível!
Vamos plantar muitas árvores e vamos precisar de ajuda, Chamo a força da floresta remanescente para que sua força natural se expanda e manifeste com nossa intervenção amorosa e perseverante devolvendo á vida mais vida! PURA VIDA!
Vamos plantar que a nossa Mãe Terra vai amar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário